Corrida de quarta - Ano 1 Edição 24

Hoje é feriado, o que parece dar um ar de tranquilidade para essa Race Week, mas é aí que nos engamos, a F1TT continua brigando, as ofensas continuam sendo propagadas e tudo isso por conta de uns carros correndo em velocidades sobre-humanas, que qualquer um de nós poderíamos quebrar algum osso na primeira freiada.

Vamos para a novela que chegou ao fim em capítulo desconfortável e agora tornou oficial o divórcio entre Riccardo/McLaren e Piastri/Alpine. Além disso também sabemos quanto custará a divisão de bens da Alpine, 3,2 milhões de reais.

Nessa novela toda, as declarações de Norris, na semana anterior não pegaram nada bem e ele esclareceu a sua relação com Riccardo após a fala explicando como realmente vê o companheiro de equipe, é de forma amigável e que ele quer ter boas relações com todos no grid. Seu comentário foi só para exemplificar o necessário como piloto.

Gasly, que acabou ganhando um possível e muito especulado lugar na Alpine, comentou sobre a postura do Piastri e acredita que não é uma forma muito legal de começar a carreira, em um lugar onde relacionamento é tudo.

Não se passa um mês sem citarem Colton Herta na F1, um movimento pouco usual em que um piloto da Indy Car vai para a F1, mas ele já guiou a McLaren de 2021 esse ano e já causou até um pequeno atrito entre Pato O'Ward e sua equipe. Mas tem um detalhe muito importante, Colton Herta não tem super-licença, mas pode ganhar uma no jeitinho, algo parecido com o que aconteceu com Yamamoto.

E já tem até Hemult Marko, falando que tem um contrato com ele para substituir Gasly na Alpha Tauri. Porém o próprio pai do Herta, desmentiu isso no domingo para a reporter Jenna Fryer.

Apesar dessa confusão toda, vários dirigentes de equipes se dizem dispostos a abrir a excessão, inclusive o Andreas Seidl. Mas fica a pergunta, porque a Red Bull tem interesse em Colton Herta, enquanto tem 5 pilotos na F2 aguardando por um assento na F1?

Os seus pilotos na F2, não tem demonstrado um desempenho impressionante como mostrou Daniel Riccardo ou Max Verstappen, para justificar a promoção. Horner precisa de alguém no nível do Gasly e o desempenho daqueles nas categorias de base estão longe disso.

Colton Herta é americano, um detalhe que ajuda diversas pessoas a resolver um problema, a F1 nunca foi tão popular nos Estados Unidos e precisa de alguém conhecido do público para se manter popular.

O mais curioso dessa história é que o próprio Colton Herta se diz surpreso pelo interesse da Red Bull. E que possivelmente o seu teste na McLaren, junto com seiu preparo físico foi o motivo para ter despertado esse interesse, mas a principal preocupação dele foi ter perdido pontos importantes na IndyCar esse ano.

Mas voltando ao que interessa, a disputa do último final de semana, que trouxe lembranças da disputa mais interessante da F1 na última década. A briga em Zandvoort, foi aquela que estávamos com saudades, Max Verstappen vs Lewis Hamilton. Mas totalmente diferente do ano passado e impressionou Cristian Horner, Mercedes não usou Russel para proteger a 1ª posição do Hamilton, que perdeu assim que o Safety Car saiu da pista.

Coisas estranhas inclusive que causou o virtual safety car da corrida, fez Toto Wolff comentar que se tivesse acontecido no ano passado, com certeza pediria uma investigação mais detalhada.

E advinha o que a Ferrari fez? Errou estratégia de novo, e ganhou comentários de Nico Rosberg, dizendo que até equipes da F2 e F3 fazem estratégias melhores, e teve resposta da Ferrari.

O GP da Holanda já é passado, vamos falar daquele evento do ano, a luta pela vácuo na parabólica na qualificação em Monza, no GP da Itália e também a possibilidade do Drugovich conquistar o campeonato de F2, já na corrida sprint.

A Band transmite a corrida do Drugovich na TV aberta, algo que não acontece desde 1983 com Ayrton Senna. Talvez isso explique o quanto nós brasileiros queremos ver ele no topo do esporte a motor.

Nick De Vries vai andar com a Aston Martin no TL1.

O final de semana em Monza será especial, o circuito completa 100 anos e a Ferrari vai comemorar seus 75 anos desde do seu primeiro carro, com a sua cor secundária as cores de Modena, o amarelo que também acompanha o Cavallino Rampante.

Matia Binotto, fala que é final de semana para recuperação, a primeira vez dos Tifosis no circuito após a pandemia.

Eu continuo achando que é só para representar a postura dela no campeonato.


Para mais detalhes dos horários e previsão do tempo pro GP da Itália basta acessar a postagem com os horários.

🇮🇹 Horários do Grande Prêmio da Itália - 2022
Sex. (09 - Set.) - Treinos Livres |Sab. (10 - Set.) - Qualificação |Dom. (11 - Set.) - Corrida